Que merda eu fiz?

Dizer que sua família não foi perseguida durante a ditadura porque não fazia merda é, de duas, uma: ou duma ingenuidade muito grande ou duma filhadaputice tremenda.

E eu nem quero entrar no mérito do que o Roger do Ultraje a Rigor falou: ele e o Marcelo Rubens Paiva são pessoas públicas, e fica muito mais fácil julgar suas famílias, cujos atos estão aí registrados em jornais pra quem quiser ler.

Me refiro a gente comum que comprou este discurso e o está reproduzindo a torto e a direito. Vi muita gente que tá pegando o bonde do conservadorismo, e jogando merda na cara de todo mundo, gritando pra todo canto que quem teve complicações com a polícia na época da ditadura é porque estava fazendo coisa errada. Isto é de uma falta de senso crítico para com o próprio discurso que chega a ser incrível como alguém pode simplesmente vomitar o discurso do Roger em cima de seus amigos, conhecidos, networkers, familiares sem sequer pensar se estão ou não magoando alguém que não estivesse fazendo "merda", mas que tenha sido perseguido e torturado simplesmente porque não aceitou viver se escondendo ou agindo como uma vaquinha de presépio, como se nada tiviesse acontecido.


Post a Comment

Popular posts from this blog

Sobre moedas e a diversidade

SEXXX CHURCH: UMA CRÍTICA