O que te levou a ser tradutor? Quais os pontos fortes e fracos dessa profissão? E o que tem de mais interessante em ser tradutor?

O que me levou a ser tradutor foi uma série de eventos que culminaram no desejo de trabalhar com esta incrível arte, ainda que menosprezada e desvalorizada. Há 9 anos, ajudei minha esposa (na época minha namorada) a traduzir um manual. Foi aí que tomei gosto pela coisa.

Sobre os pontos fortes? Bom, estar em contato constante com diversas culturas, ter de pesquisar, não só termos, mas também os motivos intrínsecos pelos quais os termos são escolhidos neste ou naquele contexto, são alguns dos pontos fortes em traduzir. Os pontos fracos? Entre muitos deles está a desvalorização da profissão, afinal, qualquer zé-da-esquina que tenha feito alguns dias de intercâmbio se sente apto a traduzir e interpretar. Além disso, algumas agências acabam fazendo "pregão" com suas atividades, jogando absurdamente o preço das traduções pra baixo. E hoje em dia muitos clientes não querem saber de qualidade, e sim de preço, e acabam escolhendo tais agências que muitas vezes contam com profissionais pouco capacitados em vez de escolherem bons profissionais que possam eventualmente cobrar mais caro.

O mais interessante em ser tradutor é o fato de que, enquanto na maioria das profissões de hoje, quando você envelhece acaba se tornando um peso morto, na tradução a experiência, tanto profissional como de vida, acaba melhorando o profissional, desde que este esteja sempre reciclando sua forma de pensar, aparando as arestas do passado e agregando valores do presente, contruindo o futuro.

Perguntaí

Post a Comment

Popular posts from this blog

30 Minutos