O guia do preguiçoso produtivo

Escrito originalmente em inglês por Jonathan Mead, retirado do blog Zen Habitsem inglês. (Título original: “The Lazy Man’s Guide to Getting Things Done”)

Qual seria a sua reação se eu disse que você pode ser totalmente preguiçoso e irresponsável, e mesmo assim conseguir realizar muitas coisas? E se você pudesse ficar todo folgadão, de bobeira por aí sem fazer nada, e mesmo assim conseguir realizar mais do que a média das pessoas conseguem? Essa é uma arte, mas você pode dominar tal habilidade com um pouco de prática.

Algumas dicas aqui parecerão muito trabalhosas, porém esse é o preço a se pagar para poder ficar ocioso o dia todo.

1. Seja eficaz.

O bom preguiçoso sabe o valor do trabalho duro. E ele também sabe que pode fazer tudo mais fácil e mais proveitosamente se fizer de maneira eficaz. Isso significa: manter o foco naquilo que importa. O que é mais importante para você, organizar suas cuecas para que fiquem todas guardadinhas combinando as cores e modelos, ou escrever aquele livro sobre dominação mundial do qual você já fala há 12 anos?

Mantenha o foco na eficácia, em vez de tentar fazer tudo perfeitamente. Deixe tudo correr por conta própria, deixe que a casa fique um pouco bagunçada, permita que sua mesa seja menos organizada. Deixe de verificar sua caixa de entrada de e-mails por um dia. Faça o que for possível para manter o foco naquilo que realmente é importante.

2. Faça sua pesquisa.

Isso pode não parecer algo que pessoas preguiçosas gostem de fazer, mas é essencial se você quer gastar bastante tempo fazendo aquilo que, obviamente, realmente gosta de fazer. Se quer trabalhar menos, é importante fazer sua pesquisa. Estude as tendências, siga os principais movimentos do seu setor de trabalho.Se você conhecer o lugar e a hora certa de agir, é possível ficar quilômetros à frente daqueles que simplesmente trabalham pra caramba esperando que as coisas saiam bem.

3. Haja por instinto.

Pessoas que trabalham muito e conseguem pouco passam tempo demais pensando sobre a melhor forma de agir. Elas planejam e maquinam incessantemente. O que acaba acontecendo é que o resultado sempre sai da forma que NÃO imaginaram. O preguiçoso sabe que planejar é útil, mas que esse recurso é quase sempre supervalorizado. É melhor agir por instinto do que ter um plano altamente detalhado que você simplesmente irá jogar fora mais tarde.

4. Conheça pessoas.

Um camarada esperto e preguiçoso sabe a importância das conexões. Ele sabe que pode conseguir muito mais ajudando os outros e cooperando. Nem sempre o que importa é o que você pode fazer, mas sim “quem você conhece”. Se puder manter o foco em ajudar os outros sempre que possível (sendo um elo importante) você criará conexões importantes facilmente com outras pessoas. É sempre muito mais fácil conseguir ajuda de alguém que você já tenha ajudado um dia.

5. Livre-se das reuniões e de tudo aquilo que não tem importância.

As reuniões são normalmente improdutivas e uma perda de tempo para todos. Elas são quase sempre irrelevantes para a maioria das pessoas envolvidas. O objetivo da maioria das reuniões pode ser comumente alcançado mandando-se um e-mail ou simplesmente fazendo-se uma ligação. Se a reunião não exigir uma tomada de decisão de alto nível e estratégica, esteja fora dela sempre que possível.

Sempre que for possível, identifique aquilo que não funciona. Há certas coisas que simplesmente não fazem muita diferença se você gastar muito ou pouco tempo com elas. Há também coisas com as quais não é necessário gastar nenhum tempo. Tente manter o foco naquilo que produza os maiores resultados. Jogue fora todo o resto.

6. Mantenha o foco em pouca coisa.

Se você é preguiçoso como eu, provavelmente não vai querer perder tempo com coisas que não são realmente eficazes. É bem melhor trabalhar em uma idéia fantástica do que em 20 outras idéias medíocres. Mantenha o foco em produzir menos. Não sacrifique a qualidade para satisfazer uma demanda arbitrária.

7. Deixe que as coisas aconteçam.

Tentar fazer com que as coisas saiam do seu jeito não é só estressante, mas também não é muito inteligente. É melhor ir lidando com as situações do que tentar dirigi-las como um ditador. Tente deixar as coisa acontecerem em vez de fazer com que aconteçam. Lembre-se que um pequeno leme pode guiar até o maior dos navios.

8. Não faça aquilo que funciona.

O destruidor de sonhos número 1 é fazer aquilo que funciona. Seguimos um modelo daquilo que funciona para os outros. Escalar os degraus corporativos pode funcionar, sim, mas isso não significa que essa seja uma boa idéia para você. Se você é esperto e quer ser preguiçoso, você seguirá o seu próprio caminho. Você caminhará no seu passo, em vez de tentar trilhar um caminho comprovado de eficácia.

É bem mais fácil andar no seu ritmo exclusivo do que se forçar a entrar em um molde arbitrário.

Pode parecer que para conseguir tudo isso seja necessária muita dedicação, e realmente é assim. Mas essas dicas também permitirão que você tenha tempo livre para ser tão preguiçoso ou improdutivo quanto queira.

Artigo escrito pelo colaborador do blog Zen Habits Jonathan Mead do blog Illuminated Mind. Para conhecer mais formas de defender a sua preguiça, faça uma assinatura gratuita do blog Illuminated Mind (em inglês).

Leia quando puder: Como não fazer as coisas pode fazê-lo mais produtivo (How Getting Nothing Done Can Make You More Productive – em inglês).
Post a Comment

Popular posts from this blog

Sobre moedas e a diversidade