Revolta Aprovada Por Deus

Será que existe uma forma de se revoltar contra o Estado e a tirania das igrejas-empresas sem que pequemos contra a Palavra de Deus? A Bíblia nos mostra que a autoridade dos homens deve estar subordinada à de Deus, caso contrário tal autoridade terrestre é nula.
Fomos criados em uma “igreja” (com letra minúscula, daqui pra frente sem as “aspas”, significando a instituição apóstata, humana e falida) que sempre teve o rabo preso com a monarquia e com o Estado. Foi assim desde que o Imperador Constantino teve a sua “visão santa” e uniu igreja e Estado, desferindo o maior golpe que a IGREJA (o Corpo indivisível do Senhor) já sofreu durante toda a sua existência. Depois disso, vieram os bispos, padres, papas e outros que, prostituindo-se com o Estado, colocaram o povo debaixo de um jugo terrível. Depois da “Reforma”, muitos pensaram que tudo seria melhor, mas, na verdade, o poder só foi descentralizado: Lutero se aliou A monarquia alemã, ficando contra os camponeses que se viam no direito de serem iguais – o próprio Jesus disse que entre nós não deveria haver divisão de classes (Mateus 20: 25-27), mas que deveríamos buscar sermos sempre os menores –, mas Lutero e a elite alemã não viam dessa forma. Eles queriam colocar o povo sob domínio, e continuar sugando todas as forças dos mais pobres (e depois dizem que não existem “vampiros de cristo”...).E a igreja tem se sustentado até hoje assim, usando a Bíblia para colocar a Noiva de Cristo em um cativeiro, nocauteando as ovelhas para que os tosquiadores tirem, se possível, o couro delas sem dó, desde que a elite da igreja esteja bem posicionada. Os que querem ver o povo sob o domínio dos senhores seculares deste mundo usam a seguinte passagem bíblica para se justificarem (Romanos 13):
“1 - Obedeçam às autoridades, todos vocês. Pois nenhuma autoridade existe sem a permissão de Deus, e as que existem foram colocadas nos seus lugares por ele.
2 - Assim quem se revolta contra as autoridades está se revoltando contra o que Deus ordenou, e os que agem desse modo serão condenados.
3 - Somente os que fazem o mal devem ter medo dos governantes, e não os que fazem o bem. Se você não quiser ter medo das autoridades, então faça o que é bom, e elas o elogiarão. 4 - Porque as autoridades estão a serviço de Deus para o bem de você. Mas, se você faz o mal, então tenha medo, pois as autoridades, de fato, têm poder para castigar. Elas estão a serviço de Deus e trazem o castigo dele sobre os que fazem o mal.
5 - É por isso que você deve obedecer às autoridades; não somente por causa do castigo de Deus, mas também porque a sua consciência manda que você faça isso.”Mas, será que, realmente, temos que dever essa lealdade cega aos nossos governantes? Será que Deus, em sua infinita misericórdia e zelo pelo Seu Povo faria com que caminhássemos diretamente ao matadouro?

A resposta está no versículo 6 do mesmo capítulo:

“6 - É por isso também que vocês pagam impostos. Pois, quando as autoridades cumprem os seus deveres, elas estão a serviço de Deus.”
Vejam que aqui Paulo diz a quais autoridades devemos prestar lealdade: àquelas que fazem a vontade de Deus.

Transportemos agora esse capítulo para os nossos dias. O que vemos no nosso país? Temos governantes que fazem a “vontade de Deus”, ou o que vemos é um bando de malditos que só pensam em pilhar nossos tesouros, humilhando os menos favorecidos em rede nacional de TV e rádio, envolvendo-se em falcatruas e escândalos sexuais? Será que esta seria a autoridade que “faz a vontade de Deus”, ou seria essa a autoridade que está debaixo do poder de Satanás, como ele mesmo (Satanás) diz em Lucas 4, verso 6:6:

"e disse [satanás]: - 'Eu lhe darei todo este poder e toda esta riqueza [ou seja, os reinos da Terra], pois tudo isto me foi dado, e posso dar a quem eu quiser'."

Com certeza, as lideranças que temos hoje não estão muito preocupadas em fazer a vontade de Deus ,mas estão sob o jugo do Senhor Deste Século.

Creio que aí está o “tesouro escondido”, a balança que mede quando devemos ou não obedecer às autoridades. Creio que, acima das autoridades, estamos subordinados à vontade de Deus. Se, para obedecer às autoridades temos que trair nossa fé, elegendo homens que pilham nossos irmãos, destroem os menos favorecidos e tiram comida da boca do povo necessitado para satisfazer suas orgias, devemos, como seguidores de Cristo, dizer NÃO a esses homens inescrupulosos! Mas estaria certo desobedecer a uma autoridade para fazer a vontade de Deus?

Se pararmos para ler a Bíblia “criticamente” (isto é, conscientemente, analisando sabiamente suas palavras) encontraremos dezenas de exemplos de homens que foram contra reis e governadores para fazer a vontade de Deus, porém, eu só quero citar as palavras do Apóstolo Pedro em Atos 5:29 (b):

Nós devemos obedecer a Deus e não às pessoas.

No meu entendimento, quando a obediência às autoridades faz com que neguemos nossa fé, devemos ser totalmente contra essas autoridades. Por acaso não estamos traindo nossa fé (e nossa consciência) quando elegemos pessoas más e que só pensam em si próprias? Talvez essa é uma posição que a igreja não tomou até hoje: a de ir contra as maldades deste mundo, pois lhe é muito confortável apoiar as maldades do Estado. Ou não seria isso? Pois o que vemos é cada vez mais “homens de deus” se atolando na política, todos tentando mamar nas tetas da pátria.

É cômodo para as igrejas serem coniventes com o Estado em suas sujeiras, pois os bolsos de seus dirigentes estão sempre cada vez mais cheios, e o povo cada vez mais cego e faminto.

É por isso que, em parte, não culpo o povo por não ter uma opinião política sólida, pois foram “doutrinados” a obedecer ao Estado, ainda que essa obediência seja contrária aos ensinamentos de Cristo. Contudo, nunca é tarde para abrir os olhos e começar a ler a Bíblia, e orar pedindo o entendimento de Deus. Se parássemos de ouvir homens e começássemos a seguir a voz do Consolador, talvez tivéssemos uma sociedade mais justa.

— Os textos bíblicos foram tirados da “Nova Tradução na Linguagem de Hoje", do site http://www.sbb.org.br

Post a Comment

Popular posts from this blog

Sobre moedas e a diversidade

SEXXX CHURCH: UMA CRÍTICA