cansaço, tempo jogado fora, dor de cabeça, dinheiro, trabalho, alegria, frustrações, pecados, consolo, perdão, culpa etc e tal.

olá pessoal. acho que o nome desse blog deveria mudar para "reclamações.com", já que eu só uso ele pra reclamar da vida... e, para não ser diferente, cá estou eu novamente a reclamar de tudo o que acontece. muita coisa tem mudado. alguns dos meus amigos já me ouviram dizer isto: eu queria ser adolescente de novo". quando eu era um "muleque", não tinha muitas responsabilidades. tá certo que a vida não era fácil: meu pai desempregado, ter que comer farinha torrada no café da café-da-manhã, não ter muita autonomia sobre vida (o que a galera costuma chamar de "liberdade") e mais uma infinidade de mazelas que aflingiram minha adolescência... contudo, as vantagens eram muitas: eu tinha um monte de "amigos de verdade", brincava na rua até às 23 horas, quando tinha comida (quando ia na casa da galera), comia sem medo de engordar e sem essas neuras que, quera ou não, você acaba tendo quando cresce. e eu não tenho medo de falar quantas vezes eu quiser: tenho saudade da minha infância e adolescência e pronto! mas eu sei que essa saudade não vai levar a nada, pois, já dizia a música: "tudo passa, tudo passará" e "nada fica, nada ficará". o grande problema é que a dor é quase insuportável: todas as vezes que olhamos atrás, percebemos que um pedaço — na maioria das vezes bom — desprendeu-se de nós pra nunca mais voltar. pare e pense, não todos, é claro: quando você era mais novo não pensava muito nas coisas. mesmo com problemas, você conseguia arranjar um tempinho pra "colar na goma" de algum amigo que tinha um "nintendinho" pra jogar yo!noid. sempre tinha um amigo legal cuja mãe, ou algum outro parente, tinha que ir trabalhar e deixava as casas sob os cuidados do "rapazinho responsável". eu lembro das tardes intermináveis na casa do tio do alan, nas quais ficávamos jogando super mario kart, ouvindo ramones e comendo pão sovado com manteiga na chapa, ou misto (isso, sem contar nas experiências que desafiavam as leis da física com "gases e fogo", rsrsrsrs... voltando um pouco mais no tempo, bons mesmo eram os domingos na casa do sander, nos quais nós passávamos praticamente o dia todo jogando rpg e assistindo desenho do "conan". como hoje, eu também colecionava revistas em quadrinhos, mas naquela época os argumentos das histórias eram melhores: hoje tudo já virou uma mesmice, e as empresas valorizam demais o lado artístico, com gráficos em computação gráfica, e esquecem das histórias. e a aquisição das revistas? confesso que eu fazia isto, afinal "águas passadas não movem...": íamos à banquinha do "agripino" (ou outra qualquer, em guaianazes) e, enquanto alguns tiravam a atenção do "tiozinho", outros pegavam as revistas. tínhamos até um "clubinho" de revistas, era muito legal... legal também era a época das baladas "underground", lá pros quinze anos: sair por aí nuns barzinhos toscos, passar por baixo na catraca, "varar" a estação de trem e tomar carreira dos pfs... era tudo meio perigoso, mas era bom pra caramba... só bandas toscas (isso é a única coisa que não mudou: as bandas continuam toscas demais, rsrsrs...) bom, já faz dois dias que eu estou escrevendo esse desabafo. acho que vou parar... mas acho que disso tudo, eu só tirei uma lição: tudo que vai (é óbvio), não volta. então, galera, aproveitemos cada segundo dessa vida. se você fez alguma cagada, paciência: levante a cabeça e caminhe adiante. a vida é bela...
Post a Comment

Popular posts from this blog

SEXXX CHURCH: UMA CRÍTICA

Violência e justiça