Janeiro bom pro ouvido.

Oi, pessoal.

Esse mês de janeiro foi um mês bem interessante para mim, pelo menos do ponto de vista musical. Não que dos demais pontos de vista a coisa tenha sido ruim, não, nada disso: o meu barquinho está indo de vento em popa, ainda que alguns, mesmo estando próximos a mim, não consigam perceber...

Mas voltemos ao papo musical.

A Comunidade Zadoque, sob o comando da Zadoque Extreme Productions (ou seria ao contrário?) acertou a mão nos shows de Janeiro.

O mês começou com Death Poems destilando seu metal extremo na linha do black metal, com passagens que lembravam gótico e power metal, realmente um show memorável, não só pelo conteúdo musical, que estava de primeiríssima qualidade, mas também por ter sido o primeiro show do Death Poems na Comunidade Zadoque.

O segundo show que me chamou a atenção foi o do Foco Nocivo.

Silas, Elvis e Cia. estavam impecáveis, destilando toda sua agressividade em um show de tirar o fôlego. Tanto que eu preparei uma pequena resenha do CD deles aí embaixo.

Não bastasse isso, dia 25, aniversário da minha querida cidade, fui convidado a tocar mais uma vez com o pessoal do Contra pane no Rio de Janeiro.

Debaixo de um sol escaldante de mais de 35 graus andamos de ônibus, passamos fome e tudo o mais que uma banda pode passar, até chegar à sede da “CVC” canal de TV cristão onde o Pr. e ex-vocalista do Oficina G3, Luciano Manga, apresenta o programa “FábricaSom”, com o intuito de revelar o que há de novo no (SIC) gospel nacional.

O destaque deste dia, em meio a vocalistas melosos, rapper de responsa, sertanejos esgoelados e forrozeiros sem talento foi a banda Base Forte, de Bênlio Bussinguer, ex-tecladista do Fruto Sagrado, que tocou um belo hard prog de deixar a gente de queixo em pé. O som valeu tanto que eu baixei as músicas pela Internet e fiz uma resenha aí embaixo. VIREI FÃ!

Espero que gostem, e até mais, seus manés...

FOCO NOCIVO

Olhos para não ver

Independente (Graças a Deus)

Fui ao show do Foco Nocivo na Comunidade Zadoque há mais ou menos 15 dias, juntamente com as bandas Boneca Preta e Skape, e fiquei “bestificado” com o som que os caras mandaram. Um crust core super-bem-feito e de mensagens positivas, mas não pedantes, com muito feeling caiu sobre a cabeça de quem estava naquele galpão da Rua do Bosque, Barra Funda. Todos estão de parabéns: Ricardo (voz), Silas (bateria), Elvis (baixo) e Abel (guitarra). É incrível como é difícil destacar alguém na banda, pois todos estão num nível de entrosamento muito perfeito.

O show foi tão bom que acabei comprando um CD-demo dos caras. Fui correndo pra casa para ouvir, e não fiquei surpreso, pois ouvi o que eu esperava. Explico: o som do CD é tão bom quanto ao vivo. São quatro músicas (Olhos para não ver; E que tudo seja um sonho; Conquista e Entorpecido) que compõem um CD de primeiríssima qualidade, mostrando que o underground de São Paulo ainda tem muito a oferecer. Quem quiser comprar o CD, entre em contato com o Silas pelo imail foconocivo@hotmail.com, ou entrem no Orkut do zine do Silas, o batera da banda, “Distúrbios Sociais”.

BASE FORTE

MP3 online “di grátis”

Independente (graças a Deus di novo)

Dia 25 eu estava lá no Rio de Janeiro, quebrando o galho do Contra Pane mais uma vez (eu já fali pros caras “assinarem minha carteira”, mas eles preferem que eu fique como freela, vai entender...). Era num canal local de TV chamado CVC, transmitido via UHF para todo o Brasil (menos pra minha casa, humpf... Aliás, descobri que aqui em casa pega a imagem e não o som... - quem quiser tentar, o canal é 44 aqui em SP). Iríamos nos apresentar no programa do Pr. Manga (um dos primeiros vocalistas – juntamente com o Túlio – da banda Oficina G3) chamado “FábricaSom”. Estávamos lá esperando a nossa vez, que seria no final, quando chega um careca no set de filmagem. Confesso que não o conheci. Daí a banda dele subiu no palco. O nome da Banda era “Base Forte”. Pensei: “pôxa, é o nome de uma música do primeiro (e melhor) disco da Banda Fruto Sagrado. Que coincidência: eu estou no Rio, ouvindo uma banda carioca que tem o nome de uma música do Fruto Sagrado, que é carioca”. Foi aí que o Manga subiu no palco e anunciou o nome da “lenda” da música cristã (ou “Gospel”, como o Manga gosta) nacional: Bênlio Bussiguer (espero que tenha escrito direito. Me perdoa Bênlio). Isso mesmo, o ex-tecladista do Fruto Sagrado e sua nova banda, a “Base Forte”. A banda faz um hard prog que flerta com o metal em algumas horas, muito boa, com letras bem elaboradas, que falam das dificuldades do homem e do seu relacionamento com Deus. Quando ele passou o endereço para baixar os mp3, guardei na cabeça, e a primeira coisa que fiz quando cheguei em casa (depois de dormir, é claro) foi baixar os arquivos. Tanto ao vivo como no estúdio, os caras se saem muito bem. Quem quiser conferir esse ótimo e sincero novo trabalho de Bênlio, acesse http://www.tramavirtual.com.br/artista/baseforte e delicie-se.

Post a Comment

Popular posts from this blog

30 Minutos