22 junho 2015

ECCLESIA REFORMATA ET SEMPER REFORMANDA EST!

Estou num corre muito foda, e deixei passar muita coisa estas semanas
Deixei passar o acontecimento da menina Kaylane, que, quando voltava do culto do candomblé, foi apedrejada, junto com outras pessoas, e levou três pontos.
Segundo ela, as pessoas eram religiosas (cristãs - talvez protestantes), pois gritavam, com a Bíblia em riste, palavras religiosas como "vocês são demônios" e "Jesus está voltando". Tem um anexo aqui que fala sobre o caso, e sobre o desdobramento dele.
Mas eu pensei em escrever algumas linhas porque estes dias tenho visto o ódio e a intolerância contra o diferente crescendo a cada dia. Todavia, também tenho visto muitos cristãos se posicionando contra a violência e contra toda intolerância.
Na Parada do Orgulho LGBT, tivemos alguns irmãos empunhando faixas que diziam, entre outras mensagens, que Jesus Cura a Homofobia. Esta semana, como podem ver no artigo aqui embaixo, padres e outras lideranças cristãs receberam a menina Kaylane para um café da manhã, e para conversarem sobre intolerância.
Mais uma vez, os polos estão se tornando evidentes. Mais uma vez, as diferenças se acentuam e a humanindade passa por um período em que milhões de pessoas pedem por um novo tempo, seja religiosamente, politicamente, culturalmente.
Ao pedir por novidade, aqueles que fazem parte do "Status Quo", os que estão na crista da onda, não querem perder seus direitos, não querem perder as regalias que a História concedeu-lhes durante longos séculos. Ao se verem enfraquecidos e diminuidos, tais ortodoxos, sem vislumbrarem uma forma para manterem a antiga ordem, se debatem, e batem, literalmente, nos que pensam diferente, na esperança de continuarem e se perpetuarem.
Depende de nós, sobreviventes do passado, trabalhadores do presente e construtores do futuro, estarmos unidos e nos mantermos firmes contra a onda de intolerância.
Houve uma época em que eu não dizia mais ser protestante. Não queria ser identificado como evangélico, e tinha vergonha de me dizer "crente". Afinal, tudo isso se tornou sinônimo de ignorância, burrice e violência contra o próximo. Porém uma vez li o Rod Silva dizer que alguém disse que se denominava "protestante" porque nós não deviamos deixar nem mesmo este nome para estes pilantras que aí estão, e que não têm vergonha de gritar aos quatro cantos que são crentes, cristãos, protestantes, etc., e de praticarem tudo aquilo que os relatos a respeito de Jesus dizem ser uma abominação: usam o nome de Deus para ganhar dinheiro, espancam e matam gays, prostitutas, pessoas de outras religiões, pessoas de sua própria religião que não estão de acordo com suas vontades ou que estejam atrapalhando seus planos de $negócio$.
Como disse uma vez, me parece, Bob Marley, os maus não tiram folga nenhum dia. Sendo assim, acho que vale a pena perder alguns minutos do meu sono para escrever estas linhas. Eu não sou ninguém neste mundo. Não sou um repórter famoso, um blogueiro conceituado, um escritor ou político. tenho apenas alguns amigos que de vez em quando param para ouvir as baboseiras que tenho pra dizer.
Cada dia mais, tenho reassumido minha posição como cristão protestante, não para engrossar a massa de decerebrados do país, nem para queimar bruxas numa fogueira ideológica, mas para firmar meus pés contras esses FDPs que tentam a todo custo enganar as pessoas.
Sou cristão. Sou protestante. Sou evangélico. Sou crente.
Sou também um cara de 35 anos, tradutor, pai, baterista, sou um cara como você, como tantos outros, que se preocupa com o bem-estar dos que estão em condições piores do que a sua. Que fica triste quando um gay é espancado, ou que fica puto quando o Malafaia e o Feliciano, e muitos outros idiotas que se dizem crstãos, abrem a boca.
Os maus ortodoxos, intolerntes, crentelhos malafaianos e direiteiros bolsonaristas terão de engolir: O CRISTIANISMO MUDOU!
A Igreja não é mais a mesma. A Igreja hoje questiona mais, pensa mais, e não engole tudo que querem - se não a maioria, uma pequena parte. Só que esta pequena pode sumir no mar de denominações e credos que compõe o cristianismo.
Isto já aconteceu no passado. Milhares de outras doutrinas, muita diversidade e muitos pensadores dentro da própria Igreja foram abafados, apagados, mortos, destruídos. Suas filosofias e seus estudos que contestavam o padrão imposto foram aniquilados por concílios e reuniões de gente velha e acomodada - veja bem que o problema não é bem ser velho...). Contudo, hoje estamos em um mundo em que é um pouco mais difícil calar uma voz. Hoje, a informação e os pensamentos se espalham como vírus, como vermes, rastejando nas mentes das pessoas, criando comichões nos neurônios. Eles podem calar uma pessoa, mas não podem apagar uma ideia espalhada.
É por isso que eu assumo meu protestantismo, e peço para que todos os cristãos inconformados façam o mesmo. Não estou pedindo para você voltar a frequentar a sua antiga congregação. O que estou dizendo é que você tem todo o direito de se denominar da forma como quiser, ainda que velhos sentados em em bancos envernizados dentro de seus ternos mofados digam que você não pode. ELES SÃO PASSADO! JÁ ERAM!
A Igreja pertence a nós. A comunidade pertence a nós. o Mundo pertence a nós! Não deixem que meia-dúzia de malafaias digam o que você deve respeitar, quem você deve seguir e que reuniões você deve frequentar. Não deixe que alguns trouxas profissionais, paus mandados das grandes corporações digam como vocês devem se divertir, quem você deve respeitar ou como você deve crescer.
ECCLESIA REFORMATA ET SEMPER REFORMANDA EST!
------------------------------------------------------------------------------