16 outubro 2009

Bem x Mal (ou seria Bem + Mal?)

anakin_skywalker_10242www

Não sei porque, mas hoje de manhã vim pro serviço pensando na mitologia criada pelo cineasta americano George Lucas “Star Wars” (conhecido pelos mais velhos simplesmente como Guerra nas Estrelas).

Para quem não tem muita familiaridade com o tema, Star Wars diz respeito a uma série de filmes, desenhos animados, livros, revistas em quadrinhos, jogos de videogame (sim, tudo se interliga e se completa de certa forma) de uma espécie de gênero que poderia ser chamado de “fantasia espacial” em que mundos se dividem entre Império Galático e resistência rebelde, onde o Império é dominado pelas forças do “lado negro” (ou “lado escuro”, na nova tradução politicamente correta de “dark side”) e a resistência rebelde tenta restaurar a ordem da República Galática de antes de o Império dominar o Universo.

Há um combustível que supre os guerreiros, seres, enfim, todos os personagens do universo Star Wars: a Força. Segundo o personagem Obi Wan Kenobi, a força é “um campo de energia criado por tudo o que vive. Rodeia-nos, penetra-nos e une a galáxia. Tanto os mocinhos (Jedis) como os bandidos (Siths) procuram atingir um patamar superior de existência, mas ambos tem filosofias bem distintas para tal:

Filosofia Jedi

“There is no emotion, there is peace.” - Não existe emoção, existe paz.

“There is no ignorance, there is knowledge.” - Não existe ignorância, existe conhecimento.

“There is no passion, there is serenity.” - Não existe paixão, existe serenidade.

“There is no death, there is the Force.” - Não existe morte, existe a Força.

Filosofia Sith:

“Peace is a lie, there is only passion.” - Paz é uma mentira, só existe paixão.

“Through passion, I gain strength.” - Através da paixão, ganho Força.

“Through strength, I gain power.” - Através da Força, ganho poder.

“Through power, I gain victory.” - Através do poder, atinjo a vitória.

“Through victory, my chains are broken.” - Através da vitória, as minhas correntes são quebradas.

“The Force shall free me.” - Assim, a Força me libertará.

Podemos ver que ambos os lados são atraídos pela mesma energia imanente, e essa energia pode transformar um homem tanto em mal como em bom. É possível observar também que ao filosofia “sombria” (dos Siths) é uma corruptela, ou um exagero, da filosofia “iluminada” (dos Jedis). Logo, o que é razão e temperança no lado luminoso, é um exagero e uma perversão do lado negro. Procuram o mesmo fim, mas com meio diferentes: o bem-estar.

Ora, no mundo “normal” acontece a mesma coisa.

Sempre estamos procurando por algo que nos satisfaça, que nos dê bem-estar, a nós e àqueles que estão conosco. Porém, como na série de George Lucas, as pessoas escolhem formas diferentes de alcançar seus objetivos, e acabam até mesmo pervertendo, do ponto de vista do cristianismo, o resultado de suas buscas.

Assim podemos analisar, por exemplo, os pecados humanos. Para se ter um parâmetro possível de comparação, vou usar a lista de 7 pecados capitais segundo S. Tomás de Aquino. É óbvio que nossos pecados não se resumem a 7, mas eu acho essa “matriz de pecados” interessante por ser bem abrangente, podendo se desdobrar em quase todos os demais pecados. Os sete pecados são os seguintes:

Vaidade;
Inveja;
Ira;
Preguiça;
Avareza;
Gula;
Luxúria.

A partir da análise dos 7 pecados, é possível concluir que eles são deturpações das necessidades do ser humano. Assim, a Vaidade seria um exagero da necessidade de bem-estar físico. Paulo diz que devemos cuidar do nosso corpo, que é o templo do Espírito Santo, mas quando passamos a dar mais importância ao nosso corpo do que às demais pessoas ou coisas da vida, passamos a se egoístas. A Inveja seria uma desejo exagerado de ter as coisas, fazendo-nos cobiçar aquilo que não é nosso e sentir raiva de quem tem aquilo. A Ira acontece quando deixamos as magoas tomarem conta do nosso coração. Nesse caso, porém gostaria de fazer uma ressalva: essa “Ira” seria uma raiva exagerada que nos leva a pecar contra os outros. Jesus mesmo disse: “Irai e não pequeis, não deixeis que o Sol se ponha sobre a vossa ira”, ou seja, muitas vezes ficamos nervosos, mas não podemos deixar aquilo corroer nosso corpo como um câncer: é resolver os problemas e nunca deixar para depois aquela “treta” de agora.

Continuando, a Preguiça seria um exagero da necessidade de descansar; a Avareza está ligada ao nosso desejo de ter sem precisar: somos levados a poupar e a sempre querer mais sem muitas vezes necessitar disso, e colocamos nossa confiança no dinheiro, o que é perigoso; a Gula é a perversão da necessidade de se alimentar; e por último a Luxúria, que é a perversão da necessidade do prazer físico.

Mas o que isso tem a ver com Star Wars, Jedis, Sith, bem e mal, Deus e o Diabo?

Bem, como disse, vim pensando em todas essas coisas no caminho para o serviço. Cheguei à conclusão que Deus e o Diabo, o Bem e o Mal, não estão tão em lados opostos, não assim, metodicamente um puxando para um lado e ou outro para o outro lado, como que num cabo de guerra transcendental. Os dois, na verdade, puxam o ser humano para o mesmo lado, o lado da satisfação e da ascensão. Porém, como entre Jedis e Sith, o Lado Iluminado e o Lado Negro, Deus estaria nos ensinando a sermos elevados pelo caminho da temperança, mas o Diabo estaria nos levando a acreditar que a satisfação está na satisfação mais que plena das nossas necessidades.

Isso fica muito claro quando observamos que cada vez mais pessoas hoje em dia estão cada vez mais egoísta e doentes por procurarem a satisfação e a alegria. Cada vez mais temos pessoas mesquinhas, depressivas, fisicamente doentes por buscarem ter mais do que necessitam, ou por irem muito rapidamente atrás daquilo que almejam. E esse tipo de coisa não acontece só no que os cristãos chamam de “mundo”: dentro da Igreja vemos cada vez mais pessoas passando para o Lado Negro da Força por buscarem de forma desenfreada a elevação espiritual. São pessoas doentes espiritualmente, exageradas na forma de louvar, de se expressar, e que mais cedo ou mais tarde se tornam malucos e morrem por não terem tido o bom senso de buscarem tudo ao seu tempo, seja por sua própria vontade ou pela falta de instrução.

E isso não é apenas no nível espiritual. Podemos ver isso no que diz respeito ao material nas Igrejas: pastores que começaram com a maior das boas vontades, e que recolhiam dinheiro “para a obra”, mas que hoje são crápulas e ladrões.

Assim como é impossível perceber o momento exato em que o dia começa a escurecer e é muito difícil dizer quantas gotas de água faltam para transbordar um copo, também é muito difícil dizer quando estamos passando do limite, passando da plenitude iluminada para o exagero negro em nossas vidas.

O Mal seduz. Assim como os Jedis de Star Wars, temos que vigiar sempre, nos controlando para que a Força que há em nós não faça com que passemos de luz às trevas como num piscar de olhos.

 

Para quem quiser saber mais sobre o mundo de Star Wars:

http://pt.wikipedia.org/wiki/Star_Wars

Para quem quiser saber mais sobre os Sete Pecados Capitais:

http://pt.wikipedia.org/wiki/Os_sete_pecados_capitais

Postar um comentário