28 julho 2007

Argentina, tangos e afins.

Viajei para a Agentina mês passado (junho). Dêem uma olhada nas fotos. Clique a seguir:
Argentina

Revolta Aprovada Por Deus

Será que existe uma forma de se revoltar contra o Estado e a tirania das igrejas-empresas sem que pequemos contra a Palavra de Deus? A Bíblia nos mostra que a autoridade dos homens deve estar subordinada à de Deus, caso contrário tal autoridade terrestre é nula.
Fomos criados em uma “igreja” (com letra minúscula, daqui pra frente sem as “aspas”, significando a instituição apóstata, humana e falida) que sempre teve o rabo preso com a monarquia e com o Estado. Foi assim desde que o Imperador Constantino teve a sua “visão santa” e uniu igreja e Estado, desferindo o maior golpe que a IGREJA (o Corpo indivisível do Senhor) já sofreu durante toda a sua existência. Depois disso, vieram os bispos, padres, papas e outros que, prostituindo-se com o Estado, colocaram o povo debaixo de um jugo terrível. Depois da “Reforma”, muitos pensaram que tudo seria melhor, mas, na verdade, o poder só foi descentralizado: Lutero se aliou A monarquia alemã, ficando contra os camponeses que se viam no direito de serem iguais – o próprio Jesus disse que entre nós não deveria haver divisão de classes (Mateus 20: 25-27), mas que deveríamos buscar sermos sempre os menores –, mas Lutero e a elite alemã não viam dessa forma. Eles queriam colocar o povo sob domínio, e continuar sugando todas as forças dos mais pobres (e depois dizem que não existem “vampiros de cristo”...).E a igreja tem se sustentado até hoje assim, usando a Bíblia para colocar a Noiva de Cristo em um cativeiro, nocauteando as ovelhas para que os tosquiadores tirem, se possível, o couro delas sem dó, desde que a elite da igreja esteja bem posicionada. Os que querem ver o povo sob o domínio dos senhores seculares deste mundo usam a seguinte passagem bíblica para se justificarem (Romanos 13):
“1 - Obedeçam às autoridades, todos vocês. Pois nenhuma autoridade existe sem a permissão de Deus, e as que existem foram colocadas nos seus lugares por ele.
2 - Assim quem se revolta contra as autoridades está se revoltando contra o que Deus ordenou, e os que agem desse modo serão condenados.
3 - Somente os que fazem o mal devem ter medo dos governantes, e não os que fazem o bem. Se você não quiser ter medo das autoridades, então faça o que é bom, e elas o elogiarão. 4 - Porque as autoridades estão a serviço de Deus para o bem de você. Mas, se você faz o mal, então tenha medo, pois as autoridades, de fato, têm poder para castigar. Elas estão a serviço de Deus e trazem o castigo dele sobre os que fazem o mal.
5 - É por isso que você deve obedecer às autoridades; não somente por causa do castigo de Deus, mas também porque a sua consciência manda que você faça isso.”Mas, será que, realmente, temos que dever essa lealdade cega aos nossos governantes? Será que Deus, em sua infinita misericórdia e zelo pelo Seu Povo faria com que caminhássemos diretamente ao matadouro?

A resposta está no versículo 6 do mesmo capítulo:

“6 - É por isso também que vocês pagam impostos. Pois, quando as autoridades cumprem os seus deveres, elas estão a serviço de Deus.”
Vejam que aqui Paulo diz a quais autoridades devemos prestar lealdade: àquelas que fazem a vontade de Deus.

Transportemos agora esse capítulo para os nossos dias. O que vemos no nosso país? Temos governantes que fazem a “vontade de Deus”, ou o que vemos é um bando de malditos que só pensam em pilhar nossos tesouros, humilhando os menos favorecidos em rede nacional de TV e rádio, envolvendo-se em falcatruas e escândalos sexuais? Será que esta seria a autoridade que “faz a vontade de Deus”, ou seria essa a autoridade que está debaixo do poder de Satanás, como ele mesmo (Satanás) diz em Lucas 4, verso 6:6:

"e disse [satanás]: - 'Eu lhe darei todo este poder e toda esta riqueza [ou seja, os reinos da Terra], pois tudo isto me foi dado, e posso dar a quem eu quiser'."

Com certeza, as lideranças que temos hoje não estão muito preocupadas em fazer a vontade de Deus ,mas estão sob o jugo do Senhor Deste Século.

Creio que aí está o “tesouro escondido”, a balança que mede quando devemos ou não obedecer às autoridades. Creio que, acima das autoridades, estamos subordinados à vontade de Deus. Se, para obedecer às autoridades temos que trair nossa fé, elegendo homens que pilham nossos irmãos, destroem os menos favorecidos e tiram comida da boca do povo necessitado para satisfazer suas orgias, devemos, como seguidores de Cristo, dizer NÃO a esses homens inescrupulosos! Mas estaria certo desobedecer a uma autoridade para fazer a vontade de Deus?

Se pararmos para ler a Bíblia “criticamente” (isto é, conscientemente, analisando sabiamente suas palavras) encontraremos dezenas de exemplos de homens que foram contra reis e governadores para fazer a vontade de Deus, porém, eu só quero citar as palavras do Apóstolo Pedro em Atos 5:29 (b):

Nós devemos obedecer a Deus e não às pessoas.

No meu entendimento, quando a obediência às autoridades faz com que neguemos nossa fé, devemos ser totalmente contra essas autoridades. Por acaso não estamos traindo nossa fé (e nossa consciência) quando elegemos pessoas más e que só pensam em si próprias? Talvez essa é uma posição que a igreja não tomou até hoje: a de ir contra as maldades deste mundo, pois lhe é muito confortável apoiar as maldades do Estado. Ou não seria isso? Pois o que vemos é cada vez mais “homens de deus” se atolando na política, todos tentando mamar nas tetas da pátria.

É cômodo para as igrejas serem coniventes com o Estado em suas sujeiras, pois os bolsos de seus dirigentes estão sempre cada vez mais cheios, e o povo cada vez mais cego e faminto.

É por isso que, em parte, não culpo o povo por não ter uma opinião política sólida, pois foram “doutrinados” a obedecer ao Estado, ainda que essa obediência seja contrária aos ensinamentos de Cristo. Contudo, nunca é tarde para abrir os olhos e começar a ler a Bíblia, e orar pedindo o entendimento de Deus. Se parássemos de ouvir homens e começássemos a seguir a voz do Consolador, talvez tivéssemos uma sociedade mais justa.

— Os textos bíblicos foram tirados da “Nova Tradução na Linguagem de Hoje", do site http://www.sbb.org.br

O Acidente Mais Horrível da História da Aviação x O Acidente de Nascer Pobre em uma Nação Omissa

Andei observando, ainda que não quisesse, toda a movimentação da mídia e da população brasileira em torno do acidente com o vôo 3054 da TAM (decorei o número do vôo, porque até ontem - sexta, 28 de julho - a primeira página da Folha de S. Paulo trazia a estampa da desgraça - pura osmose).
A nação ficou indignada, pedindo justiça às autoridades, e pedindo uma explicação para o presidente, que só se pronunciou sobre o assunto dias depois do acidente, segundo li num blog de um amigo meu, porque ele stava com "tersol".
Talvez o pior de tudo, para a nação, não tenha sido o acidente, mas a demora com que o chefe da falou sobre o caso, ofereceu suas condolências e serviços, anunciou as medidas a serem tomadas, enfim, o povo ficou "fulo" com a atitude tardia de um presidente, enquanto o mundo todo, minutos após o acidente, mandava suas mórbidas mensagens de conforto, nação das quais não esperaríamos nada mais doque uma nota na página do caderno voltado às notícias internacionais de seus países, como a Argentina e os E.U.A. É bonito ver uma nação que se movimenta e se levanta em protesto na mídia quando algo está errado. Quando isso acontece, podemos medir quão ligados estão os "filhos de uma pátria". Contudo, esse acidente ser viu para mostrar mais uma vez um grande problema da nossa nação: somos uma nação esquizofrênica, com pelo menos duas personalidades bem distintas. Independentemente do governo e da magnitude do acidente da TAM (realmente, como já constatado pela mídia, sem prescedentes), temos duas realidades, dois "brasís", dentro deste país. Uma das nações que encontramos aqui é o Brasil que se solidariza e oferece condolências aos familiares e amigos das vítimas do vôo 3054, que cobram uma atitude dos governantes e se indignam diante do descaso inicial do chefe-de-estado brasileiro em se pronunciar sobre o acidente. Porém, há um outro país, uma outra república dentro do Brasil, e esta me enoja: a nação que sequer olha para o mendigo que passa fome, que não presta condolências aos mortos nas estradas e nas mãos dos homicidas. É a nação que abre os olhos para um acidente - grande, sim - mas midiático, e que se fecha quando a mãe chora pelo filho que se tornou mais uma vítima do tráfico, que dá as costas para os seus filhos do nordeste, para os escravos-bóias-frias nos campos e para os flagelos do subemprego nas grandes metrópoles. É o país do movimentos "Viva Rio" e "Sou da Paz", que saem às ruas quando um cidadão classe-média-alta é assassinado, mas que não sabem os reais números das guerrilhas urbanas, à qual se submetem milhares de pessoas de bem, pais de família, filhos, mães. Como diz um amigo meu, a merda só fede quando chega às narinas da "high society", mas até aí, todo o resto da população já está afundado na bosta até "as tampas". Meus sinceros pêsames aos familiares e amigos do vôo 3054. Contudo, acho uma hipocrisia os que não são ligados aos mortos usarem luto e se vestirem de indignação somente nesta situação pois, para sermos justos, teríamos que nos enlutar até que o último brasileiro tivesse pelo menos casa e comida, e não apenas quando acontece um acidente de grande magnitude.

21 julho 2007

Pesquisador neozelandês vai estudar cabeça de 'metaleiro'

O governo da Nova Zelândia acaba de destinar uma verba de US$ 68 mil (R$ 140 mil) para que um pesquisador estude a cabeça e os hábitos dos fãs de heavy metal - especialmente os head-bangers, aqueles que jogam a cabeça para a frente e para trás ao som de rock pesado. [...] Durante três anos, o universitário Dave Snell conduzirá a pesquisa, que já tem até nome: 'O Dia-a-dia da Ralé: Identificação e Comunidade dos Fãs de Heavy Metal'. [...] Ele vai estudar os tipos de dança praticados por essa tribo - como o head-banging e o moshing (jogar o corpo sobre a galera). Também vai analisar a importância das tatuagens e dos piercings. A bolsa foi concedida pela Tertiary Education Commission. "A pesquisa vai nos ajudar a entender nossas comunidades e nossos jovens", defendeu Frannie Aston, gerente da entidade."

Já dizia o alemão Lutero: "mente vazia é oficina do diabo". Só o capeta pode estar trabalhando em mentes tão boçais. Leia a matéria completa em: http://g1.globo.com/Noticias/PlanetaBizarro/0,,MUL16611-6091,00.html

20 julho 2007

Não sei se choro ou rio.

Ambos - choro ou riso - seriam de felicidade, afinal, não é todo dia que morre um coronel crápula neste país. Se a gente não tira os malditos do poder, a natureza se encarrega de limpar a sujeira. Poderia deixar meus pêsames à família, mas você já viu um pimenteiro dar maçã? Acho que se a família decidisse se retirar da Terra todos de uma vez, o Brasil respiraria um pouco mais aliviado já no segundo seguinte: essa gente é um peso para nossa sociedade. Desculpe a sinceridade...

Férias em Goiás

Este mês fui viajar para Caldas Novas - Goiás, dando uma passadinha em Rio quente, também em Goiás.

A região é conhecida por cuasa de suas fontes termais (de água quente); dizem que elas têm até propriedades curadoras - vai saber...

Bom, mas a despeito de de qualquer coisa, foi uma ótima semana em que pude descansar e pensar bastante na vida.

Clique nas fotos para ver em uma janela separada, com as legendas e comentários.

19 julho 2007

CATECISMO DA NÃO-RESISTÊNCIA

Tolstói

Pergunta — De onde foi tirada a expressão "Não-resistência"? Resposta — Da frase: Não resistais ao homem mal. (Mt 5,39)

P — O que exprime esta expressão? R — Exprime uma alta virtude cristã ensinada por Cristo.

P — De onde se deduz que o Cristo tenha ordenado a não-resistência neste sentido? R — Das palavras que ele pronunciou a este respeito: "Ouvistes o que foi dito: Olho por olho, e dente por dente. E eu vos digo: Não te oporás ao malvado; assim, se alguém te bate na face direita, oferece-lhe a esquerda. Ese alguém quer brigar contigo, e tirar-te o manto, deixa-lhe também a veste."

[...]

P — Admitiam os antigos a resistência à ofensa com a ofensa? R — Sim, mas Jesus a proibiu. O cristão não tem em caso algum o direito de tirar a vida ou de atingir com um castigo aquele que lhe fez mal.

P — Pode ele combater um exército contra os inimigos de fora ou contra os rebeldes internos? R — Não, é claro. Ele não pode tomar qualquer parte na guerra, nem mesmo na organização da guerra. Não pode usar armas mortais, não pode resistir à ofensa com a ofensa, seja sozinho ou unido a outros, aja por si ou por intermédio dos outros.

P — Pode ele, voluntariamente, reunir e armar soldados para o serviço do Estado? R — Ele não pode fazer nada disto, se quiser ser fiel às leis do Cristo.

P — Pode ele, com benevolência, dar dinheiro ao governo que é sustentado pelas forças armadas, pela pena de morte e pela violência? R — Não, a menos que este dinheiro não se destine a um objetivo em especial, justo por si mesmo e cujos fins e meios sejam bons.

P — Pode ele pagar impostos a tal governo? R — Não, ele não deve voluntariamente pagar impostos; mas não deve resistir ao recolhimento de impostos. O imposto decretado pelo governo é recolhido independentemente da vontade de contribuintes. O homem não pode escapar dele sem recorrer à violência, e o cristão, não podendo usar de violência, deve abandonar a sua propriedade às arrecadações do poder.

P — Pode um cristão ser eleitor, juiz ou agente do governo? R — Não, a participação nas eleições, na justiça, na administração, nos faz participar da violência governamental.

P — Qual a principal virtude da doutrina da não-resistência? R — A possibilidade de cortar o mal pela raiz em nosso próprio coração, assim como no de nossos semelhantes. Esta doutrina reprova o que perpetua e multiplica o mal no mundo. Aquele que ataca seu próximo ou que o ofende provoca sentimentos de ódio, origem de todo o mal. Ofender o próximo porque ele nos ofendeu, com o propósito de repelir o mal, é reprovar uma má ação, é despertar ou pelo menos liberar, encorajar o demônio que pretendemos repelir. Satanás não pode ser expulso por Satanás, a mentira não pode ser purificada pela mentira, e o mal não pode ser vencido pelo mal. A verdadeira não-resistência é a única resistência ao mal. Ela degola o dragão. Destrói e faz desaparecer por completo os maus sentimentos.

[...]

(Retirado do Livro: “O Reino de Deus está em Vós – Leon Tolstoi”) Link p/ download do livro: http://www.4shared.com/file/3155675/15c497a7/tolstoi_leon_-__o_reino_de_deus_est_em_vs.html)

18 julho 2007

Postagens do Orkut.

Olá, pessoal.

Como estou sem tempo de postar textos novos, passarei a postar alguns textos meus publicados em vomunidades do Orkut. Espero que gostem.

O texto a seguir foi escrito em resposta a uma pessoa que disse que um cristão não pode namorar, ou casar, com pessoas não cristãs, alegando o tal do "jugo desigual" tratado na Bíblia, em 2 Coríntios 6. Então eu deia a minha opinião, pois sou contra essa lei do jugo desigual no que diz respeito à religião. Tem tanta gente aí que é da mesma religião que o seu próximo, mas ao mesmo tempo é totalmente incompatível com seu próximo.

Jugo Desigual Pessoal, não quero ser chato, nem parecer o "inteligentão" (até porque eu não sou), mas vocês já pararam para ler esse texto inteiro (2 Cor. 6)? Já leram o capítulo todo e viram qual era o assunto que Paulo vinha tratando no texto? Se não, dêem uma olhada, então, qual era o intuito de Paulo, na minha opinião: A graça de Deus e o bom testemunho Nos versículos 1, 2 e 3, Paulo pede para que os irmãos "corinthianos" dessem muito valor para a graça que a eles foi dada (a salvação), e que dessem bom testemunho. Sabemos que a galera de Corinto às vezes se exacerbava no comportamento. Chegaram ao ponto de fazerem a maior bagunça na Ceia, de modo que Paulo, anteriormente, mandou que "não se embriagassem na Ceia" (I Cor. 11). No versículo 3 do capítulo 6 de II Coríntios, paulo pede para que eles não dêem "nenhum motivo de escândalo em coisa alguma, para que o ministério não seja censurado". Ou seja, Paulo faz censuras de comportamentos sociais neste capítulo, relacionadas aos comportamentos dos coríntios. Ele continua do verso 5 ao 10, expondo uma série de dificuldades que os cristãos poderiam passar, e que, possívelmente estavam passando. Nos versiculos 11-13, Paulo pede para que não sejam tão voltados às suas próprias paixões e vontades, mas que se despogem destas. Provavelmente, os coríntios queriam ser cristãos, mas não estavam muito afim de produzir as obras do Espírito. Deviam ser resmungões, gostarem de festas profanas, de responder tudo com ignorância, no melhor estilo "olho por olho, dente por dente", e Paulo dizia que isso os limitava. Aí, a partir do verso 14 até o final, Paulo completa a sua idéia: "não sejam participantes nas festas dos ímpios. Não participem de suas solenidades, não se esforcem com eles para praticar os desejos da carne". Paulo é muito claro "não toqueis em coisas impuras; e eu vos recebereis", ou seja, parem de produzir os frutos da carne, para que sejam verdadeiros cristãos.

Em momento algum Paulo disse "não se deitai", ou ainda "não casai com mulheres ímpias". Imagine bem. Se fôssemos levar isso pro lado das nossas relações pessoais, e se fossemos levar ao pé da letra esse lance de "não há associação entre luz e trevas", nós não poderíamos fazer nada com "ímpios": não poderíamos abrir uma sociedade empresarial, não poderíamos fazer projetos profissionais, nem trabalhos de escola... nem mesmo poderíamos ter conta em bancos "ímpios", ou comprar e vender para ímpios, pois quando fazemos uma dessas coisas, estamos de certa forma, nos associando ao ímpio. A Palavra neste capítulo, pelo menos pra mim, é muito clara e não fala de relacionamentos amorosos. No meu entendimento (não me atrevo a falar "Deus diz"; antes, que ele fale no coração de cada um), esse texto nos traz a seguite idéia: não cometam os mesmos atos dos ímpios, não participem das festividades dos outros deuses, não dêem escândalo, para que não sejam tratados como ímpios. Sejam íntegros. Mostrem às pessoas o amor de Deus e de Jesus Cristo. Andem como cristãos, e Deus os receberá na Sua graça. Nada mais além disso.