14 abril 2016

Nada é tão novo, nada é tão velho...


Às vezes me pego pensando em meus parentes mais velhos, e percebo como que, para eles, é difícil admitir não saber algo, que o conhecimento deles, muitas vezes baseado no "boca-a-boca", não passa disso: informação passada de um para o outro, sem o menor valor prático ou o menor apoio na realidade. São remédios, medos, práticas e outros totalmente alheios aos fatos, mas que eles muitas vezes nos contam como se fosse a verdade.

07 abril 2016

Minha opinião sobre o vídeo "Delação" do canal Porta dos Fundos

Entre haters e lovers, tento dar minha opinião. Longe de ser imparcial, mas procurando uma moderação.
O maior golpe que o brasileiro pode sofrer é acreditar cegamente em seus líderes e ídolos, até o dia em que quebram a cara - e a gente SEMPRE quebra.





16 março 2016

Sementes, frutos e viagens pré-noturnas


Este é o Evangelho do Reino para os muito preguiçosos para serem ortodoxos e guardarem versículos na cabeça, mas que são honestos para com a fé.

Dizem que o religioso pós-moderno, entre outras "qualidades", é um crente que deixa de acreditar naquilo que os outros querem e passa a acreditar naquilo que ele quer.

Bem, se isso é positivo ou negativo, eu não sei, eu só sei que, de certa forma, escolhi este caminho e me sinto muito bem com ele. Se Deus perdoa os tempos da ignorância (está lá na Bíblia, dá uma googlada, pfvr), então eu, como ser humano pequeno e limitado diante da magnitude do Universo, reservo-me ao direito de não saber de nada (tal qual Sócrates e Lula), crendo na absolvição pura e simples (agora, somente tal qual Lula).

05 novembro 2015

Deixem minha etnia em paz!

Quando personagens históricos ou fictícios são representados por etnias diferentes das reais ou daquelas idealizadas por seus criadores, não há problema, A MENOS QUE A NOVA ETNIA SEJA NEGRA. Aí, filho, senta que lá vem choro, esperneio, tiro-porrada-e-bomba, o ki-suco ferve e todos são convidados a se retirar, pelo bem da boa aparência. E com o mundo dos quadrinhos não é diferente... 


Devaneios de um povo que aprendeu a ser superior

A polarização política é ruim para todos.

O brasileiro mediano não sabe analisar a política, e a única forma de tomar partido de algo é como se fosse torcendo por times de futebol, de forma passional e decerebrada.
Este comportamento também leva ao fenômeno de nunca admitir quando seu candidato ou partido é ruim. Isto fica evidente em um estado onde o governador mente e fecha escolas e não se ouve nem uma panelinha no alto dos prédios. Nem uma buzininha...